Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

E fez da vida ao fim…

breve intervalo

E fez da vida ao fim…

No último domingo dia 23 era para ter ido a Viana do Castelo, contudo acabamos à última por trocar o norte pelo centro e ir até  Coimbra. De Coimbra gosto particularmente da Universidade, um local histórico e impressionante que data do século XIII. Estudar neste ambiente conimbricense será mágico, ao contrário do Porto onde estudei, pelo menos na minha perspectiva. Pela hora do almoço o passeio pela cidade levou-nos a um pequeno restaurante italiano perto da Sé antiga, o Italianino, do qual saímos a rebolar! A comida estava deliciosa e o ambiente era acolhedor e relaxante. 

Depois do almoço (e de forma não programada) o dia continuou em Conimbriga, datada pelo menos desde a idade do bronze e posteriormente uma das maiores e mais bem preservadas cidades romanas em Portugal. Visitamos a sua estação arqueológica onde também se situa o Museu Monográfico de Conimbriga. É incrível a quantidade de história e beleza deste local em Condeixa-a-nova. Vim embora com uma nostalgia estranha, talvez aquela que o George Steiner refere, a do absoluto.

 

Ao olhar para o passado conseguimos absorver a realidade de forma condensada e maquilhada, até nas tristes lápides em que estendia o olhar encontrava uma firme beleza. Talvez seja o facto de nunca ter contactado com uma realidade destas além dos livros, documentários ou filmes. Há nesta minha experiência uma concretização de finitude e passado. Ainda muito poderia escrever sobre o que vi em Conimbriga mas a preguiça e a ferrugem nas andanças de um blog levam-me a terminar o post em breve.

Ao voltar para casa houve ainda tempo para visitar o Buçaco na freguesia do Luso e apreciar a vista deslumbrante da serra. Na mata nacional do Buçaco vimos o Palace Hotel do Buçaco, irradiava ares de Regaleira, e também o convento de Santa Cruz do Buçaco. Caminhou-se até ao topo da serra, a vista panorâmica da região é de tirar o fôlego e definitivamente vale a pena a subida. 

 Estes passeios acabam por me trazer algum real em intervalos de dias artificiais. A ida a Conimbriga já foi como um aperitivo  para as férias que se aproximam!

Sobre

21aafb00b84d1f9249b0b9a10481d2f3.pngO blog enquanto página pessoal tem como objectivo trazer um registo da vida que se insurge à correria do dia a dia, intervalos no intervalo. O "breve intervalo" surge como pausa, reflexão e memória do não empregue nos meus cadernos. Ao fim, essa outra vida trivial: a das opiniões, dos passeios, do não se querer esquecer e manter em permanente rascunho.

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2024
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2023
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D